Estudo mostra a importância da orientação do farmacêutico para o armazenamento correto de medicamentos em domicílio

remédios-domicílio
Foto: Shutterstock

O uso irracional preocupa farmacêuticos, profissionais responsáveis pela orientação dos pacientes sobre o uso e o armazenamento correto dos medicamentos

Guardar remédios em domicílio é uma prática comum entre os brasileiros. Armazená-los de forma segura e somente quando necessário, deveria ser um hábito.

Exposição à luz, calor e umidade, por exemplo, podem interferir na eficácia.

Todavia, o uso irracional também preocupa farmacêuticos, profissionais responsáveis pela orientação dos pacientes sobre o uso e o armazenamento correto dos medicamentos.

Um estudo de revisão de literatura realizado por farmacêuticos pesquisadores ligados a instituições de ensino do Maranhão e Piauí apontou riscos associados, por exmeplo, à estocagem de medicamentos em domicílio.

MIPs

A pesquisa revelou que os medicamentos mais comumente estocados em residências são isentos de prescrição médica, os MIPs.

Remédios armazenados em domicílio

Os autores enfatizam que o excesso de medicamentos em casa pode influenciar a prática da automedicação e o uso incorreto desses produtos com consequências para a saúde pública.

Alerta

O uso racional de medicamentos é amplamente recomendado pelo Conselho Federal de Farmácia (CFF).

“O farmacêutico está envolvido em todo o ciclo do medicamento, desde a manipulação, na farmácia magistral, no controle de qualidade feito por ele na indústria, entre outras áreas, até a dispensação. Por isso, ele é o mais preparado para orientar seus pacientes sobre as formas de uso, seja na farmácia hospitalar ou na comunitária.”

Fonte: CFF

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.