Erro no cadastro de fracionamento de produtos na farmácia gera CMV alto

O fracionamento de produtos na hora de dar entrada no estoque é uma tarefa muito importante para o resultado da drogaria e pode gerar discrepâncias nos indicadores da loja se não for feito corretamente.

O cadastro de fracionamento de produtos na farmácia é muito importante. A entrada de itens na loja deve ser fator de atenção para a equipe da drogaria.

Como a reposição é constante, há sempre novos produtos chegando. Na hora de dar entrada é preciso muito cuidado. Os itens fracionados merecem atenção especial. Como a entrada é de caixas com blisters ou flaconetes, por exemplo, deve-se cadastrá-los no estoque dessa maneira.

Ao dar entrada na caixa, quando trata-se de um produto fracionável, é importante informar o total de unidades, pois quando isso não ocorre e a venda é realizada, o sistema contabiliza como se toda a caixa fosse vendida por um valor muito menor, que é o preço da cartela. O fracionamento de produtos incorreto influencia negativamente no resultado da drogaria porque é gerado um determinado prejuízo e CMV que não corresponde à realidade.

Organização é a chave para a boa gestão de estoque da farmácia

Ao dar entrada na caixa, quando a venda da cartela é feita, o sistema contabiliza como se toda a caixa fosse vendida por um valor muito menor, que é o preço da cartela. Isso é necessário pois, ao vender o produto, se ele não foi cadastrado como fracionado, a venda é registrada como se a caixa inteira fosse comprada. E isso gera um número que influencia negativamente o resultado da drogaria. Por isso que o fracionamento de produtos na hora de dar entrada no estoque é tão importante.

Vamos pensar em um exemplo hipotético, sem citar nenhum item em especifico. A entrada da caixa pode custar R$ 20,00. Mas o item fracionado pode custar cerca de R$ 3,00, por exemplo.

Saiba como administrar sua farmácia com eficiência

Na hora de registrar a venda, a saída é dada como R$ 3,00. Porém, o empresário informou no seu sistema que esse mesmo produto custou R$ 20,00. Ou seja, o sistema registra um prejuízo na venda de todos esses flaconetes ou blisters porque as unidades não foram informadas, fazendo assim com que cada produto saia com o preço cheio (caixa).

Mas o que é CMV?

O CMV é, basicamente, a soma das despesas para produzir e armazenar aquela mercadoria até que a venda seja realizada. Esse dado é importante para você conseguir calcular e dimensionar o seu Lucro Bruto. O CMV é um dos indicadores mais importantes para analisar a saúde da loja. É o valor pago pela mercadoria ao fornecedor direto (distribuição ou indústria farmacêutica). Sua leitura permite compreensão sobre o montante de sobra para arcar com as despesas variáveis, fixas e medir o percentual de resultado líquido.

Posso delegar a gestão da farmácia para alguém de confiança?

O que é um CMV bom?

O CMV varia de loja para loja, mas muitas lojas consideram um CMV entre 65% e 70%. Esse é um valor muito bom se considerarmos custos e despesas da loja.

Um CMV muito alto é prejudicial para o resultado da drogaria pois indica que o empresário está gastando muito na compra de produtos. Ou seja, não tem boas condições comerciais com a indústria farmacêutica e os distribuidores. Ou pode ser também que esteja dando descontos excessivos em determinados produtos.

Descontos muito agressivos podem fazer parte da estratégia de precificação da loja por determinado tempo e algum produto, mas é preciso levar em conta esse fator na hora de analisar o CMV desse item no resultado mensal da drogaria.

Fonte: Farmarcas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *